Informações sobre hanseníase, causas, sintomas e tratamento da hanseníase, identificando práticas que possam contribuir para a sua cura.


Fatores de risco da hanseníase

A hanseníase costuma acometer ambos os sexos, com predominância do masculino.
Embora ainda existam lacunas de conhecimento quanto a todos os prováveis fatores de risco implicados na transmissibilidade, o domicílio continua sendo um dos mais importantes espaços para a propagação da infecção.
Assim, o maior risco é observado entre contatos intradomiciliares, definidos como indivíduos que residem ou tenham residido com o doente nos últimos cinco anos. Ressalte-se que o período de incubação da doença pode variar de 7 meses a 10 anos.
As pessoas com maior risco  de contrair hanseníase são aqueles que vivem nas áreas onde a hanseníase é endémica (partes da Índia, China, Japão, Nepal, Egito e outras áreas) e, especialmente, aquelas pessoas que estão em constante contato físico com pessoas infetadas. Além disso, existe alguma evidência de que os defeitos genéticos do sistema imunológico possam causar maior probabilidade  de algumas pessoas serem afetadas. Além disso, as pessoas que lidam com certos animais que são conhecidos como transportando as bactérias (por exemplo, tatus, chimpanzé Africano e outros) estão em risco de contrair a bactéria a partir dos animais, especialmente se não usarem luvas protetoras ao manusear os animais.

ACOMPANHE OS ARTIGOS DO BLOG NO SEU EMAIL